Volta às aulas é propícia para atualizar o calendário vacinal

 

A volta às aulas é rodeada de muitas preocupações, desde o material escolar à adaptação da escola. Uma, entretanto, frequentemente esquecida, é fundamental: a atualização do calendário vacinal. Isso porque estar com as vacinas em dia, principalmente para crianças com menos de 2 anos, mais suscetíveis a infecções, previne e evita muitos transtornos dos pais, além de manter a boa saúde dos filhos.

 

A atenção recai sobre as crianças menores porque, matriculadas nas pré-escolas, passam a ter contato com um universo totalmente diferente. O que é bom para a socialização e desenvolvimento dos filhos, pode também ser ruim porque permite e transmissão de vírus e bactérias. Um gesto simples, como a vacinação, é eficaz no combate a doenças.

 

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que a vacinação em massa previne entre 2 milhões a 3 milhões de mortes por ano, sendo responsável por erradicar doenças, como no Brasil, que desde 1973 eliminou a varíola e desde 1989, a poliomielite. Por isso, a vacinação, quando feita regularmente e de acordo com o calendário vacinal, contribui não apenas para prevenir a criança, mas acaba ajudando os coleguinhas também, pois de certa forma quebra o ciclo de transmissão de vírus e bactérias.

 

Todavia, não são apenas as crianças que devem ser vacinadas: pais, professores e funcionários das escolas também precisam. E é fundamental que todos estejam em dia com o calendário vacinal. Até porque muitos adultos contraem doenças e podem transmiti-las, mesmo quando não as manifestam. É recomendado, de forma especial, que estejam imunizados contra catapora, meningite e gripe, entre outras.